Posts recentes...clique...navegue...explore!

3.8.08

Correnteza


Como águas que ninguém e nada pode conter
Rompem diques, avançam terras, inundam vales
E desenhando um resoluto curso entre descaminhos.

Como águas que correm desembestadas
Enfrentam pedras, desafiam margens limitadas
E, mesmo sem destino certo, continuam o movimento

Como águas, nosso amor está finalmente chegando
Com a força de quem se aventura além mar
Transbordando de vontade de nos achar.

No meio do encontro das águas, nosso amor irromperá
Para inundar e despedaçar nossos corpos fartos
De abrigar amores que vagavam sem donos.