Posts recentes...clique...navegue...explore!

30.11.18

E quem...


(...)

E quem poderia dizer...pensar...supor...perceber...
Que eu sentada no metrô, quieta, escutando música no meu headphone
Estava passeando minhas mãos pelas suas pernas, entre suas coxas apertadas
Explorando suas extremidades com toques suaves, fazendo leves pressões aqui e ali
Subindo pelo peito, deslizando pelos seus braços fortes...pescoço até apertar sua boca
No exato momento em que eu sentava não nesse banco que estou...mas em você...com vontade...




26.11.18

Pedro Munhoz


Morrer

Tenho morrido muitas vezes,
Depois, respiro fundo,
Lavo o rosto, sigo em frente.
Não é fácil morrer,
Difícil é renascer,
Fingir-se de sol,
Cegar a lua,
Beber o mar.
Detestável seria ter a covardia
Dos que me mataram.
Eu sigo renascendo,
Eles seguem covardes.

(Pedro Munhoz)






Photo: Sunbaker, Max Dupain, 1937  (sepia version)






23.11.18

Off



Te vejo agora com olhos de quem vê televisão
Nossa energia não corre mais pelo mesmo fio
Nossa conexão depende de ligações externas
Melhor cessar as imagens, calar os sons
.
.
.
...desligar



18.11.18

Verbo


Se amar pode assustar e aprisionar...
Então eu agora escolho apenas emanar...

E como você recebe esse repentino desapego?
Ele convida você a soltar-se e voar pelo céu imenso?
Ou faz você perceber e querer de volta o chão que perdeu?





16.11.18

Despertar



(...)

E há dias em que você acorda não para um novo dia, mas para uma nova vida...









13.11.18

Eu penso que...


Prosperidade é uma atitude!


“Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma.” (3 João 1:2)



11.11.18

Lavanda


Passeio por entre um campo aberto
No horizonte vislumbro caminhos
A natureza conversa entre ela
O céu está enfim descoberto
Meus olhos se deleitam
Com a imensidão

Ando e roço os ramos de flores
Provocando os seus perfumes
Respiro e sinto encantos
E agradeço por estar
Em minha própria
Companhia



10.11.18

Fluxo


(...)

E chega finalmente uma hora que
Você sente que não quer mais
Nem amar nem desacatar

Você só quer
Seguir sua

Vida

9.11.18

Real




Hesito em sair de vez da cena, busco chaves, resgates
Ensaios, fantasias repletas de portas trancadas
...que eu nunca entrei

Um corpo vivo fica abandonado no caminho
Labaredas lânguidas lambem o mundo
...mas há pouco oxigênio

Te mordo, depois assopro
Te bato, te empurro
Depois te beijo
Te aperto
Te quero

Entre razões e emoções
Eu inventei você

Até aqui


8.11.18

Fim


(...)

E toda aquela vibrante vida cessou
Depois de impiedosas machadadas de ar
Que cortaram, deceparam e despedaçaram

Danos invisíveis pararam...aquele coração



6.11.18

Desejos


Há desejos...

Que estão aqui, mas não são
Desse tempo, dessa data, dessa era

Que nascem sempre no meio
De resistências, dificuldades, impedimentos

Que crescem sempre lutando
Com padrões, com o aceitável, com as expectativas

Que são essencialmente rebeldes
Atravessam todos os tempos, sobrevivendo secretamente


Vivendo de frenesis clandestinos
Atrás de portas, debaixo de mesas, embaixo de roupas, em cima de muros

Vivendo de trocas coniventes
De olhares, de palavras, de roçares de pele, mãos, dedos, braços, ventres, pernas

Vivendo de ousadias cúmplices
Sempre no escuro, no privado, entre sussurros, deleites domados e silêncios calculados


Renascendo repetidamente pelos séculos, sempre limitados, impedidos, proibidos, torturados

Para nunca viverem tudo que são e ameaçarem desestabilizar os padrões vigentes suportáveis

Para nunca desafiarem o que as pessoas reconhecem como aceitável e permissível


Então eles alternam encontros, separações, persistências e...êxtase

Com reencontros, separações, persistências e...êxtase

E seguem assim...a própria natureza

Sendo apenas desejos


5.11.18

Fato é...


Você pode ser rico
Você pode ficar rico
E ser sempre medíocre

Alguém  pode ser pobre
Alguém  pode ficar pobre
E se manter sendo incrível

Prefiro esse tipo de humano
Ficar perto de gente medíocre
Me provoca alergia, convulsões

Minha inteligência não suporta
Meu espírito não se conforma
Meu corpo se atira pra fora

Todo o meu ser rejeita
Expulsa, vomita
Sem dó...
Xô!




4.11.18

Fases


Quando você evolui sucessivamente
Percebe quando a pele velha começa a sair
Sente o momento que um novo casulo rompe

E lida melhor com as dores desse movimento
E para de usar a força para abreviá-lo
E abre mão de apressar o processo

Não é uma questão de pressa
Crescer é uma questão de buscas
E de tudo o que acontece...no meio delas

3.11.18

Resquícios


Aviões caíram
  Fogos arderam
    Mares secaram
      Pássaros voaram
        Desertos racharam
          Prédios desabaram
            Montes soterraram
              Corpos incendiaram

 Até que
         Faltou ar
                 Faltou chão
                             Doeu

E tudo o que ficou foram...textos


2.11.18

Perspectiva


O que faz você sentir que olha de baixo
Pode ser algo que esteja te convidando
A olhar para o próprio tamanho

Quais são os seus parâmetros?
Quais são os seus ângulos?

Você pode sentir-se pequeno
Você pode sentir-se grande

Isso pode te fazer diminuir
Isso pode te fazer expandir

Isso pode te fazer encolher
Isso pode te fazer crescer

Isso pode te fazer saltar
Isso pode te fazer voar

Qual é a escolha?

Ser generoso
ou egoísta?

Com...você



1.11.18

Barro


Suas ações
Suas reações
Suas posições
Suas percepções
Suas resistências

Seus pensamentos
Seus sentimentos
Seus contornos
Seus limites
Seus fins

Eu não te vejo
Eu não te tenho
Eu não te conheço
Eu não te reconheço
Eu não te compreendo
Eu não te desencaminho

Fiz cordilheiras de areias
Fiz labaredas de faíscas
Fiz estradas de trilhas
Fiz portas de frestas
Fiz mares de gotas
Fiz você de mim

Eu inventei você