Pular para o conteúdo principal

Anônima



E a morte doeu...
Não deu pistas prévias
Não mandou mensagem

A pegou em uma esquina ordinária
Quando ela estava entretida com a vida
Não deu chances a argumentos
Não deu tempo de implorar
Não pediu permissão.

Valeu a pena se era para morrer assim?
Sozinha, pobre, abandonada, privada
Sem ter acesso ao luxo de ter o básico

Do que valeu?
Do que vale?

Se ela pode chegar em um dia qualquer
E nos pegar em uma esquina ordinária
Sem...avisar...



Artwork: Guy Bourdin