Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

Safadezas, sabores e delícias. Por Vianne Rocher

Ah...Lucrécio, um dos ditados que mais amo na vida é o "cuidado com o que você quer, porque você pode conseguir". Não foram poucas as vezes que recebi cantadas perseverantes, atenções realçadas, verdadeiras configurações de dias inolvidáveis e no H da hora, do homem e do hoje, nada!
O fato é que as pessoas adoram desejar; querer o que lhes parece impossível; arquitetar engenhosas formas de obtê-lo para, em seguida da conquista do objeto, perecerem e voltarem remansadas para suas vidas ordinárias. Afinal, atirar-se à falta de contornos exatos de uma paixão incomensurável é coisa para quase nenhum!
Você, meu safadeco amado, em busca de águas raras atravessa terras, pula muros, se prepara para arrombar portas mas, se por um comparsa acaso elas já estão abertas, hesita um pouco com a surpresa para depois avançar com sede ainda maior na empreitada. E só intrépidos como você, meu caro amante temperado no dendê, descobrem as delícias do outro lado; ampliam a estreiteza dessa vida…

Lucrécio, meu safadeco. Por Vianne Rocher.

Solteirinha da Silva, andava meio enfastiada com a falta de singularidade dos xavecos. Não conseguia mais ser audiência para interesses genéricos que à menor resistência, talvez buscando apenas um pouco mais de apuro, virava logo um tanto faz como tanto fez. A companhia de um copo de bom vinho, um livro querido, ou um filme agradável, estava sendo melhor do que ficar à mercê de galanteios degenerados.
Mas mesmo tranquila e inebriada com meus simplórios entretenimentos eleitos, volta e meia sentia falta de alguma coisa; na verdade alguma coisa de homem. Não, não era de sexo, porque isso nenhuma mulher que realmente quer tem dificuldade de obter; isso é fato. Também não era de carinho, porque isso também conseguimos da família, de amigos e até de desconhecidos educados. 
Sem entender aquela sensação de pouquidade, enchi mais um copo de vinho e resolvi ler umas crônicas alheias. Me diverti aqui e ali, me encantei aqui e acolá, até chegar a umas palavras deliciosamente insensatas que me …

Perfeita proporção.

Eu não quero, não preciso

e nunca mais vou ver

o seu des sorriso
o seu des apego
o seu des atino
o seu des afino
o seu des amor

Artwork: Adam Hale