Pular para o conteúdo principal

Labaredas






O toque da palavra é físico
O silêncio vira arroubo
A hesitação declara
O olhar consome

Gotas de suor escorrem preguiçosas
A pele se debate entre afogar-se ou sufocar-se
Tentando driblar, o corpo tenta escapar aos pedaços
Mas cegos, escolhem ir para a mesma direção do fogo           

A insistência zomba das dificuldades
Nada faz sentido, mas tudo é exato
A distância desafia as vontades

O tempo é calendário
O calendário, datas
As datas são metas
As metas, desejo

O desejo, apenas palavras
As palavras são intenções
As intenções, o nada
.
.
.

Labaredas



Artwork: Jorge Torres