Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2016

Bate e volta...

Nunca tenha medo de cair Depois que aprende que do chão não passa Levantar será, para sempre, possível e mais fácil E então, você vai entender que descer ou subir É apenas um dos exercícios da vida Desenvolve os músculos Nos deixa mais fortes E se doer, passa. Artwork: Paul Bond

Sinos

Se não é recíproco, Que se esvaia Que se vá Ventos... Artwork: Arlane Crump

Para você que esqueceu do amor...

Sim, ver flores em tudo e rir sem o menor motivo é clichê... Acionar a poeta, compositora, artista, criadora via coração também é. Escolher sua melhor roupa, seu melhor sorriso e seus melhores sentidos pelo outro é um lugar comum cada vez mais incomum, porque quase ninguém está achando. Achar que cartas, cartões, emails, posts em blogs, Instagram, Twitter, YouTube, Facebook ou mensagens no Whatsapp ainda são poucos meios para expressar sua emoções, não é exagero, é tempero. Porque o homem pode inventar tudo, ir ao espaço, quebrar tudo na Terra, dominar o ciberespaço e até substituir o próprio homem com tanta tecnologia. Mas nunca vai conseguir com tudo isso preencher um coração vazio. E muito menos esvaziar um peito repleto de sentimentos. Mais clichês, por favor... Artwork: Isabel Chiara

Errata

Desculpe, mas você me interpretou mal... Eu não sou uma pessoa de arroubos. Eu sou O arroubo. Photo: Unknown artist

Exit

Você sai quando eu acabei de chegar Você pede a conta quando eu resolvo ficar Você resolve mergulhar quando eu saio do mar Você para de tocar quando eu chego pra dançar Você decide começar quando eu cansei de brincar Você quer me amar quando não quero nem te odiar Você foge correndo quando percebe que vou voltar Você é inexato, abstrato e burro. Photo: Grégoire Clouzeau

Preguiça

Meu coração está deitado ouvindo música Escolhendo uma guloseima na geladeira Lendo um livro com bons capítulos Navegando no computador Meu coração está folheando a agenda Ele está afim de ver filmes sem legendas Sabe que o melhor está além do que é dito Meu coração está no modo avião No lugar de sempre, mas sem total acesso Não quer por vestido, batom nem saltos altos . . . Meu coração só quer ficar . . . Quieto. Artwork: Penelope Dullaghan

Gotas

Olho o tempo seco da janela e penso que gostaria que estivesse chovendo agora... Com aquele barulho distintivo que abranda ao redor, mas também ameaça Fazendo de onde estamos um pequeno quadrado seguro no mundo Eu queria que a chuva estivesse batendo nas janelas, escorrendo pelas vidraças... Provocando a sensação de que não devemos nos mexer, um álibi perfeito Para podermos deixar o que quer que seja para um outro dia Eu gostaria de ver relâmpagos e de ouvir algumas poderosas trovoadas ecoando... Com aquele desejo instintivo de estarmos grudados com quem amamos Para falarmos tudo, caso o mundo decida acabar nessa hora Eu queria estar lá fora no meio da chuva com a minha falta de medo de me molhar... De encharcar minhas roupas, minha calcinha; de deixar os cabelos escorrendo De permitir que a água encontre caminhos pelo meu corpo . . . Para refrescar minha alma. Photo: Kyle Marshall