Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2017

Sistema

Nós  somos  como os planetas ao nosso redor
Precisamos nos manter perfeitamente  alinhados

Atentos ao nosso próprio curso 24 horas do dia
Cientes de quem somos e para onde estamos indo

Qualquer negligência pode abalar nosso pequeno universo
Esse quadrado particular que todos nós ocupamos no mundo

Nascemos com a grande responsabilidade de saber quem somos
E é essa árdua tarefa é que garante vida saudável no planeta Você


Artwork: Frank Moth

Bum!

Tem entendimentos que vêm muito devagar
Como a trajetória de uma gota...

As informações chegam e vão se acumulando
De modo quase imperceptível...

Depois se arrastam juntas bem lentamente
Vencendo todas as resistências ...

E caminham determinadas sempre pra frente
Porque seguem um fluxo forte...

E quando caem em direção à fonte...
Fazem o barulho de um trovão
Para terem a certeza
De que você
Ouviu!


Photo: Victor Udall

Mares

Quem não suporta...

O contato desafiador com o mar
O movimento incessante das ondas
Todas as temperaturas de um mergulho

Quem não sente prazer...

Com sua imensidão
Com sua escuridão
Com seus mistérios

Só entra no mar para se afogar...

Em suas águas
Em suas anáguas
Em seu próprio medo


Artwork: Aykut Aydoğdu

Saída

(...)

Sinto o vento passar entre meus cabelos
Minhas mãos escorregam no limo|limbo?
Desço pelas paredes em queda rápida
Tudo voa em direção à claridade
Eu apenas escorrego sem parar
Pra baixo
Pra fora
Pra sair


Photo: Eleanor Bell



100 palavras

(...)

E tem horas em que a única coisa que eu consigo é ser sincera aos borbotões, como uma correnteza de percepções e sentimentos desaguando em palavras...

Falo exatamente o que penso sem pontos, sem vírgulas, travessões, dois pontos ou parênteses...


Photo: Alice Alinari

Perspectiva 2

O mal não está em errar...
Afinal, quem nunca
Em menor
Ou maior
Grau?

O mal
Está no
Que você faz
Do seu erro depois.
Se perpetua, ou rompe e cresce...



Artwork: Christian Schloe 

Muralha

(...)

Subitamente ele se virou
E com toda as suas forças
Correu de volta para dentro

Passou por oito pesados portões
E trancou um a um com oito chaves
e grossos ferrolhos em madeira maciça

Mais adiante, subiu centenas de degraus
E lá do terraço, protegido por seus guardas
Com lanças e flechas viradas em direção a ela
Murmurou para nem ele mesmo ouvir: Eu amo você...



Artwork: Christian Schloe 





Destinos...

Medos são como passaportes expirados

Você quer
Mas não dá
Então você fica
E a vontade também
Nada vai a lugar nenhum

A diferença é que com os medos
A passagem está sempre em suas mãos
Você decide se fica no mesmo lugar de antes
Ou se toma coragem de explorar novas paisagens

Artwork: Christian Schloe 

Último ato.

Com a promessa de um grandioso espetáculo
Com silêncios demais entre os diálogos
Com pouca luz para ver os cenários
Com um enredo incompreensível
Com algumas cenas memoráveis
Com a última fala esquecida
Com a plateia vazia

A cortina fechou.

Fim?


Image: Otvos Csilla

Maixxx

(...)

Um sentimento  igual ao momento
Em que retiram o doce da panela
E você olha os cantos,as curvas
E percebe lembranças gustativas

E aí você lambe, lambe muito
Raspa até não  ter mais nada
Nada além do gosto da panela

E  percebe que aquele  vazio
Não combina com o seu desejo

Então, para, sente e pensa...

Teria te comido de colheradas!


Artwork: Ugur Araz