Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2018

Guimarães Rosa

O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.   Guimarães Rosa. (Grande Sertão: Veredas) Artwork: Eduardo Baptistão

Estação

Ela mantém um olhar fixo, debruçada na sacada, tomando um café que nunca termina ou esfria... Está paralisada olhando do alto aquele trem passando...um trem longo, com inúmeros vagões transparentes, de onde é possível ver jóias, tapeçarias luxuosas, porcelanas delicadas, cristais brilhantes e muitas, muitas caixas que nunca foram abertas... Tudo parece intacto, indiferente ao movimento daquele trem veloz; às vezes lento, outras vezes quase parando, cedendo a um hesitante freio... Aquele conteúdo de reis parece de verdade, mas nada pode ser tocado e ela não consegue exercitar uma ideia de para onde, ou para quem, tudo aquilo está destinado. Quem sabe ela tenha interceptado, sem querer, uma viagem seleta, discreta, secreta... Ou talvez aquele trem não esteja indo para lugar algum, esteja apenas viajando, suspenso, fora de alcance. Talvez pertença a alguém que não deseja instalar-se, que deseja apenas reter tudo, trancado a oito chaves, seguro das intempéries do

Restart!

(...) E cada vez que meu corpo encosta no chão Com um tombo Eu levanto e começo a subir, flutuando, mais leve Mas não mais fraca Não tenho mais medo de cair ou de me ferir no caminho Faz parte da minha dinâmica Quando você entende e aceita a sua jornada, aprende com ela E não se encolhe nem quebra, amplia... Photo:  Susie Loucks

Borbotões

(...) Não, não me peça para economizar o que tenho de sobra Eu sei que Cazuza poderia entender isso muito bem E espero que isso não seja restrito a poetas Ou a loucos... Artwork: Larissa Câmara

Aviso aos navegantes

Que seja violento Visceral Destravado Imodesto Abusado Empreendedor Destemido Farto Que seja sem fronteira Sem outrora Sem embora Que chegue chegando Sem hora Agora Que fale pouco Fale sério Fale com silêncios Que não seja aleatório Que venha para surpreender Impactar Quebrar estatísticas Que me pegue com a mão cheia Que me pegue forte Me pegue firme Me atenha Que tenha cumplicidade Conexão Sentimento Ou não venha pra dentro Passe ao largo Passe batido Segue rumo E me deixe a sós com o meu oceano. Artwork:  Catrin Welz-Stein  

Passos 1

(...) E então ela pensou: Vou morrer de saudade Mas... Como saudade não mata Vou me despir dela E seguir com a vida Nua. Artwork: Alex Chernigin