Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2019

Transparência

(...)

Ela era de muitos (corpos) e de nenhum
Andava nua, cabelos ao vento, todos eles
Entregava-se  sem tabus por algumas horas
Beijava com exaltação, deixava-se consumir

Eles ficavam impactados com aquela entrega
Maior do que a que esperavam ou mereciam
Despertos, ofertavam mundos e poesias
.
.
.
Mas ela continuava solta e livre
Nua, cabelos ao vento, todos eles
Ela não queria mais ser de ninguém
Agora só pertencia e amava a si mesma
.
.
.
Era o seu próprio oceano, os ventos, o navio
.
.
.
E o horizonte.




Artwork: Catrin Welz-Stein(blog sepia version)






Anaïs Nin

Ajusto-me a mim, não ao mundo.

Anaïs Nin




Artwork: Mark Mc Kelvin

Limiar

Algumas vezes a saúde só é possível
Depois de morrermos um pouco...



Artwork: Catrin Welz-Stein

Viagem

(...)

Ele a observou calado por um tempo
E então disse, sem mover um único músculo 
- Fazer amor com você é como mergulhar no mar...
Foi a frase mais encantadora que ela havia ouvido na vida
Ainda mais vinda de alguém que ela sabia que não sabia nadar
Nunca havia entrado em um barco e morava muito longe do mar . . .
Artwork: Catrin Welz-Stein

Opostos

Abandono e desistência possuem a mesma ação
Mas são ações de fontes completamente diferentes
Abandono tem a ver sempre com covardia e fraqueza
Desistência tem a ver com coragem e força...de partir



Artwork: Christian Schloe 

Marear, Mariar

Não prendo ninguém com cordas
Eu não sou a âncora
Eu sou o barco...

Movimento

Vastidão

Verdade

Ventos

Mares
.
.
.

Artwork: Catrin Welz-Stein








Unidade

Você desiste de algo ou alguém
Quando cada célula que existe em você
Te empurra para a direção oposta...para partir
Antes disso, tentar ir é apenas um ensaio repetitivo
.
.
.
Quando isso acontece
.
.
.
Você não pensa mais
.
.
.
Você não sente mais
.
.
.
Seu corpo te leva
.
.
.
Você vai
.
.
.Foi.

Artwork: Catrin Welz-Stein

Céu

Página virada não faz barulho...
Asas batendo às vezes fazem...


Artwork: Catrin Welz-Stein




Gourmet

Há de se ter cuidados
Porque o sal rouba
O sabor de tudo

Alimentar-se
Não é apenas nutrição
Mas também paladar e
.
.
.
Sentidos.


Artwork: Catrin Welz-Stein

Não

(...)

E a resposta àquele costumaz silêncio covarde
Não saiu de sofisticadas artimanhas do cérebro
Nem da insistente complacência do coração.
.
.
.
Como uma devastadora tsunami
.
.
.
Saiu das vísceras
.
.
.
Saiu da alma
.
.
.
.
.
.
Que
.
.
.
D
e
s
i
s
t
i
u
.
.
.
E
.
.
.
Desaguou  .  .  .
.
.
.
Artwork: Aykut Aydoğdu



Preâmbulo

Há cansaços que transbordam
Pelos orifícios
Pelos cabelos
.
Há cansaços que te invadem
Te tomam
Te assolam
.
Há cansaços que te abatem
Te derrubam
Te forçam
.
.
A interromper
A descansar
.
.
.
Acordar.





Artwork: Christian Schloe


(...)

Mais uma vez ela se queimou com fogo
Doeu de novo, destruiu de novo
Mas desta vez ela achou bom
Porque tudo virou cinzas
Que ao primeiro vento
.
.
.   .   .  Voará




Artwork: Christian Schloe (blog sepia version)





Gana

(...)

Aquela decisão brigava com as vontades dela
Mas ela por fim acatou e foi aquietando-se
Embora sentisse espasmos involuntários...

A distância e o tempo eram seus remédios

Porque. . .

Ela podia estar farta de banquetes recentes
Mas todas as vezes que ele se aproximava
Ela imediatamente sentia fome...e sede.


Artwork: Christian Schloe

Faxina

Alguns problemas em série
São apenas convites à
Limpezas profundas
.
.
.
E
.
.
.
Novos ares. . .




Artwork: Catrin Welz-Stein


Presente

Pode ser um preconceito
Pode ser um desejo torto
Pode ser um prejulgamento

Pode ser uma opinião gratuita
Pode ser uma impressão equivocada
Pode ser um sentimento sem vergonha

Eu não tenho medo do meu pior pensamento
Eu não tenho medo de mudar de ideia mil vezes
Eu não tenho medo de observar minhas incoerências

Algumas vezes evito coisas, situações, lugares, pessoas

Mas estou sempre comigo, sendo eu mesma em todos os segundos

Uma prerrogativa, uma colheita, um presente, uma guerra
.
.
.
Concluída.



Artwork: Olaf Hajek






Perspectivas

(...)

E todos viraram brisa
Quando ele tornou-se o mar
Onde ela queria desaguar em...


Artwork: Eugenia Loli


Embarque

(...)

De repente, bem no meio de uma conversa alheia
Ele pousou forte na cabeça e no peito dela
E por uma fração de muitos minutos
Ela quis saber (de verdade)
.
.
.
Se ele tinha medo de
.
.
.
.
.
.
Avião




Artwork: Catrin Welz-Stein


Registro

E, na verdade, nesse nosso mundo hiperfotografado, não sabemos de nada apenas por imagens...

As fotos podem inventar histórias, novas versões...ângulos imprecisos...

O melhor narrador de qualquer história, não são fotos

São as emoções que ficam...

Invisíveis.



Artwork: Fajar P. Domingo



Déjà Vu

Sinto muito por quem já envelheceu
De tanto exercer a mesma tola estupidez
Ao longo de todo o tempo e de muita vida

O tempo passou pra mim também, mas

Não tenho data

Para expirar...


Artwork: Patrik Svensson

NeverForever

O que eu mais amo no AMOR
É a imprecisão que ele provoca
Em tudo que é decidido com a razão.





Artwork: Frank Moth





Prosperidade

Temos sempre que acreditar em dias melhores

Porque assim eles nos acham...

Artwork: Catrin Welz-Stein






DNA

Com o tempo a natureza se desgasta
Pode ser corrompida e até destruída
Mas em essência não muda...

Você consegue reconhecer e
resgatar a sua natureza?



Artwork: Christian Schloe 






Era uma vez...

Uma pessoa
.
.
.
Cheia de ideias
E de sonhos bons
Cheia de projeções
Ilusões inofensivas
E de otimismos irreais
.
.
Mas que não gostava de viver faz de contas
Sabia que a paz só mora no que é de verdade...

Artwork: Catrin Welz-Stein

Súbito

Em regra, a ordem dos fatores
Não altera uma soma
Mas, algumas vezes
Subtrai tudo dela.

Artwork: Aykut Aydoğdu




Cardápio

Há fomes de Cheetos

Escolhas...

Sempre.






Artwork: Sandy Skoglund





Na Rota

Busquei e reencontrei a amplidão
Olho para frente e respiro abertura
Cabelos, corpo e sentimentos ao vento
.
.
.
Subitamente um fio de saudade me puxa
Olho para trás e ainda vejo a ilha ao longe
Sinto em mim fragmentos, pedaços invisíveis
Do que sempre me lembrarei em qualquer tempo
.
.
.
O vento nota que balancei e reage forte para me resgatar
Usando meus cabelos para me acordar como chibatadas
Me obrigando a virar pra frente e encarar o horizonte
.
.
.
Estou sem bagagem, volto ao movimento, a navegar
Deixei pra trás, na ilha, tudo o que me fez partir
Nada me chama ou me espera, estou no mar



Livre



Artwork: Christian Schloe 





Amplidão

Navegar é preciso
Lançar-se de novo
Jogar-se além mar
Abrir os caminhos
.
.
.
Ir em direção ao ponto zero e
Ser surpreendida pelo o que é
Espontâneo, leve e vivo
.
.
.
Poder mergulhar fundo
Sem que icebergs
Inesperados
Detenham
.
.
.
O fluxo.





Artwork: Eugenia Loli




Re-conheço

ARMADURAS e borboletas não combinam. ©





Artwork: @desertmusestudios

Status

Dá para tirar férias do MUNDO? ©



Artwork: Aykut Aydoğdu


Quadrado

Às vésperas de 2020
No tal mundo globalizado
Com as expressões ampliadas
E o que percebemos em toda parte?
Que de repente todos querem ser iguais
E que estão se tornando reféns
De falsas expectativas
De falsos modelos
De falsos eus
Em um mundo
Quadrado e
.
.
.
Chato.


Artwork: Aykut Aydoğdu

Opium

(...)

Abraços esfomeados
Que unificavam
Que sufocavam
Que liberavam...

Mãos ambiciosas
Que deslizavam
Que apertavam
Que abriam...

Beijos extasiados
Que exploravam
Que passeavam
Que invadiam...

Encaixes perfeitos
Que estremeciam
Que instigavam
Que viciavam...

Encontros maculados
Que machucavam
Que apartavam
Que teimavam
.
.
.
Opium



Artwork: Nelli Utalishvili



Preliminares

Se jogar em uma pista de dança
E dançar todas, se entregando ao ritmo
É como vivenciar preliminares intermináveis
Você fica curtindo o caminho, ainda não chegou lá
Mas seu corpo todo fica motivado e preparado pra isso
.
.
.
Dance.





Artwork: Unknown Artist






Passeio

(...)

Era tão intenso que a carícia preguiçosa do vento que entrava pela janela a excitava.
Assim como o arrepio involuntário do seu corpo ao ser tocado pelo frio do inverno
O contato delicado do meio dela com a calcinha macia entre as pernas cruzadas
A dobra lânguida do decote do vestido escorregando pelo seu ombro esquerdo
E as . . .
.
.
Quentes

Molhadas

Deliciosas

Degustadas

Lembranças.

Photo: Edward Olive




Sinopse

Nem sempre o que eu escrevo é verdade
Mas o que eu sinto sempre é.


Artwork: Catrin Welz-Stein




















Astronautas

(...)

E havia uma característica muito comum aos seres humanos da segunda década dos anos 2000: um assustador número deles insistia em des-perceber que as coisas não poderiam mais ser como ANTES.




Artwork: Eugenia Loli


Ondas...

E o que você faz, quando ondas gigantes internas reviram tudo e te deixam nua, expondo verdades camufladas?

Você se acalma e espera, porque maremotos assustam, mas também expulsam o que não pertence aos mares...




Artwork: Scout Cuomo



Cume

(...)

Ela subiu nele como se ele fosse um Everest possível...
Mas Everests são para kamikases, e ela não era um.



Artwork: Jarek Puczel

Cume

Há momentos em que você precisa da sua força em toda a sua potência
E precisa tanto que não pode perder tempo com nada que esteja fora dela...


Artwork: Catrin Welz-Stein



Pergunta

Quando insistimos em questões das quais já sabemos as respostas...
Estamos tentando entender?
Estamos tentando aceitar?
Estamos tentando ouvir?
.
.
.
Ou
.
.
.
Estamos APENAS tentando eliminar as respostas anteriores?


Artwork: Eugenia Loli



Expiação

Procuro a arte para me provocar...
Insisto em ir além, em ver e ouvir
Mais dos que as cores desbotadas
E os sons viciados da realidade.

Procuro a nudez da alma
Que a arte (ousadamente)
Está sempre a expiar
.
.
.
Por natureza
.
.
.
Como eu...


Photo: Maria Doria by Pedro Cury | Oi Futuro


Arremate

Não amo com a razão
Não amo com o tesão

Não amo com a ilusão
Não amo com o coração

Não amo com projeções
Não amo com permissões

Não amo pelas sintonias
Não amo pelas afinidades

Não amo pelas facilidades
Não amo pelas dificuldades

Não amo pelas necessidades
Não amo pelas oportunidades

Não amo pelas cumplicidades
Não amo pelas conveniências

Amo
Com
Tudo!

Por isso
Para mim
Desamar é...

Longo
.
.
.
Difícil
.
.
.
Trabalhoso.
.
.
.
Mas acontece.



Artwork: Hodges Soileau




Sutil

Quando alguém sai do meu coração
Sai de pantufas...



Artwork: John Baldessari





54

Ser velho é...

Se fechar em você
Preferir o previsível
Temer o que te move
Rejeitar o que é difícil
Descartar o que te desloca
Contentar-se com o possível
Achar que já sabe o suficiente
Querer controlar as experiências
Não saber usar o botão do foda-se

Não serei velha em nenhuma idade.
Não serei velha nunca.


Artwork: Unknown artist


Nua

Não me visto para viver a vida

Estou sempre nua
Cabelos, pelos e
Possibilidades
.
.
.
Ao vento
Sob o sol
Chuvas
.
.
.
Viver inclui
Intempéries.

Artwork: Alex Chernigin

DNA

.
.
.
Na vida

Não sou uma pessoa de meias tigelas
Sou de boca cheia, de me lambuzar
.
.
.



Artwork: Ugur Araz

Desapego

(...)

O apego não era a alguém
O apego não era a uma ilusão
O apego não era a um potencial

O apego era àquele sentimento
Tão forte, envolvente, bom
Que era duro vê-lo partir
.
.
.
De mãos vazias...




Artwork: Christian Schloe 

Direção

(...)

Ter acesso àquela muralha só era possível nos raros momentos em que os portões se abriam enquanto todos os guardas estavam descansando desarmados...
Então, para passar através deles, ela tinha que ser rápida, mas sem chamar a atenção, e pegar o que pudesse antes do exército perceber e reagir...
Ela tentou por longos e numerosos meses, de dia, de noite, sob o sol, alagada pelas chuvas...não conseguia pegar quase nada, mas sempre saía com vida. Não arriscava tudo. Era um desafio.
Até que em uma data não planejada ela decidiu parar de se empenhar; não parecia mais fazer sentido lutar por fragmentos de algo impossível.
Era um dia frio quando ela partiu sem o almejado tesouro, mas inteira em busca de outros...
A vida é hoje.

Artwork: Victoria Yore + TJ Drysdale

Retirada

As vezes você vence uma batalha
E nem se lembra de comemorar.
Só quer descansar da guerra...



Artwork: Olga _Z | Istockphoto








Nota

Eu pulo muros... mais de um até
Mas escalar, não escalo não.

Nenhum.



Artwork: James Coates


Clarice me define

“Não sou sempre flor. Às vezes espinho me define tão melhor. Mas só espeto os dedos de quem acha que me tem nas mãos.”

Clarice Lispector


Artwork: Maria Valente