Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2019

Coffee break

Ele estava com a mandíbula cerrada Olhando para o nada, às vezes para ela Muito rápido, para ela não achar que cedia Ela remexia charmosa os (agora) longos cabelos Revelando brincos, pedaços de pescoço e de ombros Ele apertava a boca e a olhava de lado, sem encará-la Com raiva de ver seus eficientes portões sendo escancarados Ela falava e mexia levemente na boca com a ponta dos dedos Uma de tantas manias sutis que desafiavam as resistências dele Ele administrava ondas conflitantes de descomprometimento e entrega Estava bem em sua estância de conforto, mas ela era um convite a um voo Ele até podia sentir o céu, o mar... mas, o receio de sair da terra o fez retirar-se Ela apenas observou aqueles ombros quadrados que amava irem saindo do foco De repente... Ele hesitou, olhou para trás, mas ela também havia ido embora...vestido ao vento Sem pensar, ele gritou seu nome. Ela parou, e virou o rosto com seu melhor sorriso Ele estava no lugar de antes: dividid

Lar

Sua mente é a sua casa O quão confortável você está nela? A luz está apagada? Ou todas as lâmpadas estão acesas Ofuscando tudo ao redor? Você limpa os cantinhos? Há poeira sob os tapetes? As gavetas estão em ordem? Acha fácil seus sapatos? Acumula lixo? No banheiro há limo? Suas janelas ficam fechadas Ou escancaradas? A sua porta abre apenas com uma chave? Ou tem trancas, cadeados e várias fechaduras? Sua mente é sua casa... Tenha sempre plantas e flores Iluminação com brandura Música sempre tocando Perfume no ar (Acolha-se) Artwork:  Aykut Aydoğdu

Recomposição

Superar é quando seus piores dias ficaram presos em lembranças opacas É reconhecer a luz que atraiu e esquecer as sombras que separaram É visitar a saudade, mas querer ir embora para continuar a vida É conseguir se conectar só com o que fez tudo valer a pena É voltar a curtir as  playlists  que deletou porque doía É guardar o que ficou em suas asas E voar novamente... Artwork:  Catrin Welz-Stein

Distância

As vezes a gente só consegue ver (de verdade) bem de longe Em uma distância próxima do inalcançável... Artwork:  Catrin Welz-Stein

Iguaria

(...) Ele tinha o talento de um pâtissier A deixava sempre quente, tenra e adocicada Para ser degustada em muitos matizes de sabores Mas lhe dava uma única mordida gulosa e cirúrgica Talvez temendo abrir muito o próprio paladar... Artwork: Loui Jover

Chamado

Não grite meu nome de onde eu não possa ouvir Chegue perto o bastante para ouvir o meu silêncio... Artwork:  Frank Moth