Pular para o conteúdo principal

Não



(...)

E a resposta àquele costumaz silêncio covarde
Não saiu de sofisticadas artimanhas do cérebro
Nem da insistente complacência do coração.
.
.
.
Como uma devastadora tsunami
.
.
.
Saiu das vísceras
.
.
.
Saiu da alma
.
.
.
.
.
.
Que
.
.
.
D
e
s
i
s
t
i
u
.
.
.
E
.
.
.
Desaguou  .  .  .
.
.
.
Artwork: Aykut Aydoğdu