Pular para o conteúdo principal

Ernest Hemingway

(...) Já sabia, então, que qualquer coisa — boa ou má — deixa um vazio quando acaba. Se era má, o vazio se enche por si mesmo. Se era boa, só se poderia enchê-lo encontrando alguma coisa melhor. (...)

Ernest Hemingway - Paris é Uma Festa