Pular para o conteúdo principal

Escolta


(...)

Os dois caminhavam pela calçada

Em uma conversa amena, despretensiosa.

Ela, habituada a sentir-se alta, estava de tênis.

E ele, muito mais alto, a obrigava a subir o rosto

Para alcançar os olhos dele que a fitavam de lado

E ficavam puxadinhos todas as vezes que sorriam

Não eram amigos, nem conhecidos, não eram nada.

E, assim, eram todas as possibilidades por estarem ali

Ambos interessados em compartilhar coisas aleatórias.

Mas, ela guardava uma divertida sensação sob a máscara

De que quando se pendurasse naqueles ombros quadrados,

Nem uma força-tarefa do BOPE seria capaz de arrancá-la dali.

Artwork: Pøbel