Pular para o conteúdo principal

Delete

(...)

Certa manhã, no meio da pandemia global, de um cenário local surreal regido por um Presidente estúpido, trabalhos incertos, desencontros decretados e um ranço das redes sociais que só desassociam, recebi de um amigo um vídeo de uma criança fofinha que mal sabia falar. Logo que vi os primeiros segundos da tal gracinha deletei o vídeo sem dó!

Fiz isso em um gesto tão contínuo que, por alguns outros segundos, procurei uma culpa qualquer dentro de mim pela minha frieza cirúrgica. Foi quando uma Maria veio de mim e apressou-se a me avisar: 

— Hoje estou sem poesia.


Artwork: M. Hodgins

Comentários